Paulo Roberto!

Apressa-te que de dor
meu peito falece,
saudade é flor
que na ausência cresce.

Sei que já vens
mas já não me aguento,
traga todo o amor que tens
cavalgando num corcel de vento.

E me envolva nos braços teus,
beije-me como o rio ao mar,
prometa-me nunca dizer adeus,
quero mesmo é morrer de amar.

Do relógio se esqueça,
o telefone jogue fora,
perca comigo a cabeça
e nunca mais vá embora.

Não quero a saudade
tão pouco a solidão,
quero só o amor que invade,
que me aquece o coração.
Marcadores: | edit post
6 Responses
  1. Angélica Says:

    Chorei tanto ao ler...
    Preciso de suas orações meu amigo.


  2. Mila Says:

    Interessante como escreves com amor, só ele faria nascer uma poesia tão bela...
    "E me envolva nos braços teus,
    beije-me como o rio ao mar,
    prometa-me nunca dizer adeus,
    quero mesmo é morrer de amar"
    Lindos versos!
    Bjs
    Mila


  3. Lua Nova Says:

    "...traga todo o amor que tens
    cavalgando num corcel de vento."

    Uma doçura só... palavras lindas, mas que falam de um sentimento que machuca muito a alma...

    "Apressa-te que de dor
    meu peito falece..."

    Um domingo feliz pra vc.
    Beijos.


  4. Denise Says:

    Que lindo poema! Seu blog é tão aconchegante, adorei aqui :)


  5. karina Says:

    tudo seria mais simples se nós de tudo esquecesse nem que fosse por um instante.


  6. Mayara Rosa Says:

    É realmente incrível a maneira na qual expõe suas idéias.Você é realmente talentoso!!!!Um Grande ABRAÇO!!!!!


Postar um comentário

Espero que tenham gostado...

Related Posts with Thumbnails
BlogBlogs.Com.Br